Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


CPLP.com

por cincodiasuteis, em 01.08.14

A Guiné Equatorial já é membro da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa). Estamos a falar de um país cuja língua nacional é o espanhol, sendo que os idiomas mais falados nem são reconhecidos pelo país. Isto é daquelas coisas bizarras que ninguém consegue perceber. Se isto da língua não interessa, qualquer dia a Miley Cyrus também faz parte da CPLP.

 

Aparentemente, foi pedido que a Guiné Equatorial abolisse a pena de morte e promovesse a língua portuguesa como língua oficial. Sim, pediram ao país cuja língua nacional não é a mais falada do país que ensinasse aos seus habitantes mais uma. Eu ainda sou do tempo em que as coisas funcionavam ao contrário. Primeiro falavam português e depois é que entravam. É tão difícil encontrar lógica nisto como encontrar um dedo mindinho do pé de uma rapariga que seja bonito.

 

Eu gostava de perceber qual é a mais-valia de a Guiné Equatorial ser CPLP. Não serve nem para as estatísticas de falantes de língua portuguesa no Mundo, pois o país tem pouco mais de meio milhão de habitantes. E o Javier Balboa.

 

Eu imagino uma reunião da CPLP como as sessões do Parlamento Europeu em que têm que usar auscultadores que façam a tradução para se entenderem uns aos outros. Ou então por gestos ou sinais de fumo. Criatividade não deve faltar. A língua é que não há-de ser uma barreira.

 

Apesar de ter escolhido escrever sobre este assunto, não é uma coisa que me choque assim tanto. A Guiné Equatorial não fala verdadeiramente português, mas, quando o Acordo Ortográfico for obrigatório, ninguém irá escrever na língua de Camões. Nessa altura, a Guiné Equatorial estará perfeitamente integrada e cumprirá efectivamente todos os requisitos.

 

Francisco Mendes

Autoria e outros dados (tags, etc)



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contacto

cronicasinuteis@sapo.pt