Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Palas Verde e Brancas

por cincodiasuteis, em 23.10.14

Para mim, é ponto assente que Bruno de Carvalho é populista e demagogo. Ele vem das claques do Sporting e fala para aqueles sportinguistas com palas verde e brancas nos olhos. É por isso que diz coisas como “devia tirar-se o vermelho da bandeira” ou “o Sporting é o único clube que representa Portugal. Depois há um clube regional e um clube de bairro”. É o que diria um sportinguista qualquer a um amigo benfiquista ou portista. A diferença é que a Bruno de Carvalho ninguém responde. Estrebucha sozinho.

 

Na senda do populismo e da demagogia, o Sporting apelou a que os adeptos fossem esperar a equipa a Alvalade depois da derrota com o Schalke, na Alemanha. Não se trata sequer de estarem a festejar uma derrota. Isso foi o que alguns sportinguistas disseram dos aplausos no estádio da Luz no jogo em que o Benfica perdeu com o Zenit e não é isso que acontece nestes momentos. Trata-se do ridículo que é fazer-se um pedido destes aos adeptos. É como estar a dizer-lhes que eles não dão o real valor à equipa e tem que ser a estrutura a fazê-lo. Por outro lado, o Sporting tem cada vez mais o tique do culto da personalidade. Este comportamento, uma vez mais, revela isso mesmo. A direcção do Sporting acha-se no direito de mandar nos próprios adeptos. Na terça-feira mandaram-nos aplaudir. Quando houver um desaire humilhante (toca a todos), vão mandar também na reacção?

 

Há uma necessidade qualquer de festejar qualquer coisa e, como os títulos estão escassos para os lados de Alvalade, apela-se a este tipo de movimentos que já aconteceram recentemente noutros clubes, mas de forma espontânea. É um bocado como alguém se convidar para a festa de aniversário de alguém. Mas tudo bem às claras. De megafone na mão.

 

Outra coisa curiosa é ver o que as redes sociais oficiais do Sporting disseram dos adeptos que esperavam a equipa. Quando vemos o vídeo, calculamos que estariam umas 30 pessoas no máximo. Eles dizem que estiveram uma centena de pessoas a receber a equipa. Não sei bem como é que falharam tanto os números. Provavelmente, o ábaco em Alvalade é um bocado estranho e enganam-se a contar. Faz lembrar um bocado da clássica disputa entre sindicatos e Governo em dia de greve. Ou nos palpites dos diferentes jornais em relação ao número de pessoas em manifestações.

 

Quanto ao jogo, é verdade que o Sporting foi prejudicado. O golo em fora-de-jogo é um lance mal ajuízado, mas que já aconteceu muitas vezes e não vai ser a última vez que acontece. O penálti marcado nos descontos contra o Sporting é completamente incompreensível. Tão incompreensível quanto o protesto do Sporting que pede a repetição do jogo ou o dinheiro do empate (o resultado que aconteceria, muito provavelmente, se o penalti não tivesse sido marcado). No fundo, é como um contrato que diz “queremos verdade desportiva” e depois em letras mais pequenas diz: “ou então calem-nos com dinheiro”.

 

Estou em crer que nada vai acontecer. O Sporting tem o jogo perdido e vai ficar a ver navios. Mas a jogada já foi feita e foi para aqueles com palas verde e brancas nos olhos.

 

Francisco Mendes

Autoria e outros dados (tags, etc)



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contacto

cronicasinuteis@sapo.pt