Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


PeC, PEC e Peque

por cincodiasuteis, em 17.09.14

O Prós e Contras é um daqueles programas que, pela sua antiguidade, já marcou a História da televisão portuguesa. É um programa de debate e saúda-se que haja um espaço na televisão em Portugal que não promova a passividade. Ainda assim, acontecem coisas muito bizarras no programa.

 

Eu acho que tudo começou quando as pessoas se começaram a referir ao programa como PeC. Quando é dito, tanto pode ser o programa como pode ser a primeira pessoa do Presente do Conjuntivo do verbo “pecar”. Se calhar, algumas das coisas a que se assistem é por uma má interpretação.

 

À cabeça, recordo-me do mítico debate de há uns meses sobre a praxe. Com a quantidade de temas que podem interessar aos jovens universitários do nosso país (à partida todos), só este é que fez com que viessem pessoas em autocarros do Algarve para assistir. Ficaram célebres os assobios da assistência sempre que alguém se manifestava contra a praxe. No fundo, foram lá fazer o mesmo que os populares fazem à porta dos tribunais quando um alegado homicida vai ser julgado e a televisão tem lá o tripé montado. Este debate ficou também conhecido pela forte linha argumentativa de uma rapariga que defendeu a praxe dizendo que os jornalistas bebiam absinto e por se ver Fernanda Câncio, uma das convidadas anti-praxe, estar a tweetar em directo a falar mal dos seus colegas de painel.

 

À partida não há nenhum tema que se diga que não possa ser debatido, mas alguns dos temas escolhidos são bastante engraçados. Por exemplo, a memória, o racismo ou o amor. No caso da memória, esperava ver dois lados do debate: de um lado elefantes, do outro peixes. Mas não foi isso que aconteceu. No caso do racismo, quais são os prós? E no caso do amor, quais são os contras? Claro que para falar de amor convidaram um poeta. Aí estiveram bem. Qualquer dia teremos temas como “ser humano vertebrado: sim ou não?”, “taxistas de bigode” ou “pessoas que dizem treuze”.

 

Estes são apenas alguns exemplos. O programa já vai na 12.ª temporada e certamente que há muitos mais. Para que não se voltem a repetir, sugiro que deixem de chamar PeC ao programa. Desde José Sócrates que já se tinha percebido que nenhum PeC dá bom resultado.

 

 

Francisco Mendes

Autoria e outros dados (tags, etc)



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contacto

cronicasinuteis@sapo.pt