Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A Gorda Anorética Com a Cara Em Obras

por cincodiasuteis, em 22.10.14

Há uma semana toda a gente andava a defender a Jessica Athayde por lhe terem chamado gorda. Esta semana, toda a gente está escandalizada com a Reneé Zellweger e com a aparência da cara dela depois das plásticas.

 

As pessoas acham que há uma diferença nos dois casos e por isso sentem-se livres para comentar. De facto, é difícil para a maioria das pessoas achar a Jessica Athayde gorda. Pelo contrário, toda a gente acha que as plásticas destruíram a cara da Reneé Zellweger, ou seja, as pessoas não defenderam o facto de a imagem não ser importante ao ponto de ser uma razão para insultar alguém. As pessoas defenderam uma ideia com a qual não concordavam: a de que a Jessica Athayde não era gorda. Se assim não fosse, passado uma semana não iam partilhar e comentar tanto a cara da Reneé Zellweger.

 

Faz-me sempre imensa confusão quando há algum escândalo à volta da imagem de alguém por duas razões:

 

  • A maioria das pessoas comenta a imagem das outras pessoas e toda a gente faz troça com as características físicas de outras pessoas. Se não é porque se é gordo, é porque se é magro. Se não é porque se usa óculos, é porque se é ruivo. Se não é porque se usa piercings, é porque se tem tatuagens. Condenar os outros depois é apenas um acto de hipocrisia;
  • Se a imagem não é um factor determinante, porque é que ficamos tão ofendidos com os comentários sobre a imagem? Porque é que partilhamos tantas vezes a fotografia da Jessica Athayde e filosofamos tanto sobre a ditadura da imagem em vez de desvalorizarmos?

 

É verdade que a imagem é importante e deve ser. Todos os seres humanos têm automaticamente impressões sobre outra pessoa através do que vêem. Contudo, isto não significa que seja ao nível do gordo/magro ou feio/bonito. Apenas quer dizer que obtemos informação (às vezes estamos errados) através da imagem. É diferente, até para a mais inocente das pessoas, aquilo que se sente ao ver uma pessoa sair de um Ferrari ou de um Fiat 200.

 

Quanto aos comentários mais agressivos, já se sabe que vai haver sempre uma Margarida Rebelo Pinto para sinalizar gordinhas e uma gorda para chamar anorética à Sara Sampaio.

 

Francisco Mendes

Autoria e outros dados (tags, etc)



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contacto

cronicasinuteis@sapo.pt