Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


T.P.C.: Tenham Pena do Camões

por cincodiasuteis, em 08.08.14

Toda a gente teve um professor de Matemática que passava a vida a dizer que a Matemática estava em todo o lado para justificar o facto de termos que a estudar. “Quando vais à mercearia, precisas de fazer contas para saber se não te enganaram no troco”. O que justifica, claramente, termos que aprender equações de segundo e terceiro grau (o grau refere-se à gravidade da queimadura que nos provocam no cérebro). Aposto que a maioria dos professores falha as equações literais - aquelas que têm letras e que não servem para nada - e nem é pelo cálculo matemático. Provavelmente, até aí dão erros ortográficos.

 

Dizem as notícias que 65% dos professores deram erros ortográficos na Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades (PACC). Agora sim estão reunidas as condições para que a classe dos stores tenha mais força no nosso país. Já escrevem como a deputada Catarina Marcelino. Qualquer dia o Parlamento é formado só por professores. Um dos requisitos já está preenchido.

 

Lembram-se de há uns anos se ter falado muito sobre um vídeo do youtube em que uma professora tentava tirar o telemóvel de uma aluna e a aluna se recusava a dar-lhe o aparelho fazendo com que as duas o puxassem para cá e para lá como se fosse o último par de sapatos em saldos na Primark? A partir de agora é possível que vejamos cenas idênticas, mas com uma diferença: a disputa vai ser por apontamentos de Português. “Dá-me os apontamentos já!”, dirão os docentes.

 

Esta notícia vem destruir muitas das coisas que nos cansámos de ouvir quando éramos estudantes. Por exemplo, os professores já não vão poder ameaçar os alunos com maus desempenhos nos testes com umas orelhas de burro enquanto ficam a olhar para a parede. Agora vão ter que ameaçar de que ficam virados para a parede usando orelhas de professor. Da mesma forma que não vai ser possível os alunos escreverem até ao fim da linha as palavras em que erraram nas composições, porque no fim da linha estão os professores. No fim da linha da docência e da decência.

 

Para não dizerem que só critico, tenho uma sugestão para melhorar o Ensino em Portugal. Os alunos ficam com dois poderes dos professores: o livro de ponto para marcar faltas de chá (isto dos erros dava direito a ida ao Conselho Directivo e recado na caderneta) e começam a passar T.P.C., isto é, na aula seguinte os professores já tinham que “Ter Pena do Camões”.

 

Um dia Aristóteles disse que “o verdeiro discípulo é aquele que supera o mestre”. Vá lá, stores, não precisam de facilitar tanto.

 

Nota: este texto foi escrito em português correcto. Como dizem os professores, está encriptado. 

 

Francisco Mendes

Autoria e outros dados (tags, etc)



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contacto

cronicasinuteis@sapo.pt